Antes do Nascimento

A semente de um pequeno explorador

Ora aí tem, já viu! Desta vez, de certeza que é uma menina. Ela tem pezinhos e mãozinhas, ela até chupa no dedo! Muitas vezes erroneamente acreditamos que um bebé começa a tomar forma humana e é mais capaz de interagir connosco a partir do 2º exame de imagiologia.
Na verdade, o seu pequeno aventureiro uterino não tem estado à espera deste momento para desenvolver os seus sentidos, dando cambalhotas e brincando com o seu cordão umbilical!

Pequeno, mas já dotado…
O primeiro sentido que o seu bebé desenvolve é o tato. Eles começam a mexer-se por volta da 7ª semana, quando os lábios, testa e bochechas se tornam muito sensíveis. Não é, portanto, surpreendente vê-los tocar no seu rosto, brincar com o seu cordão umbilical ou chuchar no seu polegar para se confortarem na 10ª semana.
A partir da 12ª semana, os seus sentidos do paladar e do olfato começam a tornar-se mais apurados. O seu líquido amniótico assume o sabor de qualquer alimento que coma. Imerso, o bebé deglute e inicia os prazeres do paladar. Estudos têm mesmo demonstrado que eles deglutem muito mais quando a mamã come alimentos doces e que se contorcem… de prazer!

Falar, ouvir música… Ela está a ouvi-la!
Terá de esperar até à 24ª semana para que o seu bebé reaja aos sons. Mesmos reduzidos para 25 a 30 decibéis, os sons exteriores, tais como os de televisão, música ou vozes não são estranhos. Mas no momento do nascimento, eles irão sempre ser capazes de reconhecer a voz da sua mãe!
Aproveite ao máximo este momento para iniciar o seu bebé na sua música, colocando auscultadores na sua barriga. Sabemos que por volta da 26ª semana, o bebé reage à música familiar no ventre, pela aceleração dos seus movimentos como se estivesse a dançar de alegria. Depois de nascer, pode reproduzir a mesma música para ajudar a acalmá-lo se chorar.

Toc, toc, está alguém aí?
O último sentido a desenvolver-se, a visão, aparece por volta da 27ª semana. Com as suas pálpebras semiabertas, eles podem distinguir as alterações à luz. Estimule-os passando uma lanterna sobre a sua barriga ou acaricie-a quando está sentada ao sol. Parece ser por volta da 33ª semana que o feto é capaz de reconhecer formas.
Outra maneira de interagir com o seu bebé – aulas de haptonomia. Geralmente praticadas às 13 semanas de gravidez, permitem aos pais utilizarem o tato para criarem um vínculo forte com o bebé. Para incentivar o vosso bebé a aproximar-se da parede uterina, posicione as mãos delicadamente sobre a barriga e pressione ligeiramente. A resposta é imediata!
Esta abordagem tátil pode também ser utilizada em casa acariciando, ao de leve, a barriga. Se os vossos pequeninos reagem com um pontapezinho, acariciem-nos, falem com eles ou cantem-lhes uma canção de embalar. Após o nascimento, irão gostar de recordar a sensação suave da vossa voz. Tal como o desejo de tocar nos objetos ao seu alcance, ou de os meter na boca. Tiveram tempo para explorar tantos prazeres antes do nascimento, escondidos, no mistério da vida intrauterina. Tato, paladar, olfato, audição, visão… Os cinco sentidos do seu pequeno explorador são já vividos antes de chegar a este mundo! Mas se existe um sentido preponderante para o bebé, este é o olfato, devido ao facto de ter estado rodeado pelo seu odor durante 9 meses. Ao nascer, perto da sua pele, é este mesmo odor que o bebé encontrará com grande prazer. Como um alicerce reconfortante, esta ligação insubstituível mostra ao bebé que é, na verdade, a mãe e o percurso para ser amamentado é, afinal, curto.

Loading...