Antes do Nascimento

Comer com o bebé

O velho ditado diz que quando está grávida come por dois. Isto não é verdade – tem apenas que comer melhor! Uma dieta saudável e variada não só fornecerá todas as vitaminas e minerais de que a mãe e o bebé precisam, como também irá ajudar a moldar as suas futuras preferências alimentares.
Isso mesmo, quanto mais variar o que come durante a gravidez, mais o seu pequeno explorador apreciará os mesmos alimentos.

Já é um gourmet!
Estudos científicos têm demonstrado que os bebés adquirem o seu sentido do paladar no ventre, mais ou menos por volta do terceiro mês de gravidez, quando as suas papilas gustativas começam a formar-se. A partir daquele momento conseguem distinguir entre sabores salgados, doces, amargos ou ácidos.
Embora prefiram coisas doces, os bebés estão acostumados a mamar e a deglutir o líquido amniótico em que estão imersos. É ainda aconselhável comer algo doce uma hora antes dos dois últimos exames de imagiologia e varrimento, para fazer com que o bebé se mexa mais e para que possa vê-lo melhor. Conforta-o, enquanto a mãe representa um néctar estimulante!
A mãe transfere o sabor dos alimentos que ela come para o filho através do líquido amniótico pois adquire o sabor e o cheiro do que ela comeu.
Terá experimentado sabores duradouros depois de uma refeição. Imagine como será para o seu bebé, que está constantemente submerso no seu útero, os sabores permanecem durante 24 horas ou talvez até mais! Isto não a deve impedir de comer um pouco de tudo! Está a ajudá-lo a fazer o mesmo e a familiarizar-se com os vários grupos de alimentos.

Sensações para o paladar à la carte
Não existe fórmula mágica ou uma lista para se comer de forma saudável, apenas algumas regras de bom senso para variar a sua dieta sem exagerar nas guloseimas. Dessa forma, quando chegar o momento de experimentar diferentes géneros alimentícios, o seu pequeno aventureiro estará aberto a tudo. É hora de se empanturrar de espinafres!
Frutas e legumes: quer crus ou cozinhados, fornecem a mesma energia; 5 por dia a todas as refeições. Certifique-se apenas de que são lavados cuidadosamente!
Carboidratos: estes incluem cereais, batatas ou leguminosas tais como feijão seco. Incluí-los em todas as refeições, especialmente cereais integrais.
Laticínios: 3 por dia, de preferência os de baixo teor de gordura, baixo teor de sal e mais “naturais”. Obviamente que tem de evitar leite não pasteurizado, queijos com a casca com bolor e azuis.
Carne, peixe e ovos: uma ou duas vezes por dia, em quantidades menores do que o seu acompanhamento. Escolha peças magras e certifique-se de que estão bem cozinhadas.
Alimentos açucarados: pastelaria, bolos, gelados, doces… Mesmo se os achar reconfortantes e mesmo que estimulem o seu bebé, deve limitar a quantidade que consome, pois contêm muita gordura e açúcar.
Gorduras: utilizar uma diversidade de óleos, como o óleo vegetal, azeite, nozes, ou de colza, mas limite as gorduras animais, como a manteiga, as natas ou a margarina.
Sal: para ajudar ao desenvolvimento do cérebro do seu bebé, escolha sal iodado. Limite a ingestão quando estiver a cozinhar ou a lanchar e acima de tudo, prove sempre antes de temperar!
Bebidas: água, sempre água. Necessita de 2 litros durante o dia, além das refeições. Não beba álcool e modere o consumo de bebidas gasosas.
O bebé escolhe o consciencializar do paladar… Cabe à sua mamã ajudá-lo a descobrir uma variedade de sabores. Por um lado, porque é vital para a sua saúde comer bem, mas também porque irá recordar-se destes gostos e irá apreciá-los quando nascer.

Loading...