As suas questões frequentes

Alertas

Se estiverem preocupados, no hesitem em telefonar ao vosso médico.

Seguidamente, apresentamos uma série de perguntas que o vosso pediatra vos poderá fazer para elaborar um diagnóstico pelo telefone, que vos vão ajudar a definir os sintomas para informar o médico.
O vosso filho vomitou ou teve diarreia? Tem alguma dor? Onde se situa a dor? Dura há quanto tempo? Deram-lhe alguma coisa para aliviar? Aumentou a sua temperatura? Com que rapidez apareceu a febre e qual foi a temperatura mais alta? Perdeu a consciência em algum momento? Repararam em glândulas inchadas ou erupção? Teve enjoos ou visão turva? O médico também vos fará perguntas sobre o apetite e os padrões de sono.

Bibliografia
“Guia completo para cuidar de bebés e crianças” da Dra. Miriam Stoppard.
“Os meus primeiros 100 dias” de José Luis Romero.

Vómitos

Se o vosso filho vomita constantemente durante um período de 6 horas ou mais, sobretudo se tiver diarreia ou febre, devem consultar um médico. Geralmente, a causa dos vómitos terá a ver com algum alimento que não lhe caiu bem ou pode tratar-se de uma gastroenterite. Se for contínuo é necessário ir ao médico para descartar a hipótese de uma causa mais séria. O pediatra saberá o que fazer.

Sustos do recém-nascido

Os bebés assustam-se com o que não conhecem e não é de estranhar que fiquem nervosos com os barulhos dos eletrodomésticos, os gritos das pessoas, os animais, ou simplesmente uma sombra inquietante. Tentem que ele esteja em ambientes tranquilos para que não sofra muitos sobressaltos. Se mantiverem uma atitude calma e segura, o contacto convosco irá ajudá-lo, e nem se dará conta. Evite que tenha de enfrentar os seus pequenos “fantasmas”.

Mordidas de animais domésticos

A primeira coisa que devem fazer é lavar a ferida com água e sabão e procurar assistência médica, mesmo se acharem que não é necessário levar pontos. É importante ter em conta que provavelmente lhe vão receitar antibióticos para evitar que a ferida infete ou talvez lhe apliquem uma injeção contra o tétano. Mas não tenham receio! Os animais de estimação são geralmente muito pacientes com as crianças da casa!

Febre alta

A testa quente é o primeiro sinal de febre, mas para terem a certeza devem verificar a temperatura com um termómetro. Para baixar a febre pode embeber um pano com água morna começando pela cabeça e passando depois para o resto do corpo. Se a febre durar mais de 24 horas ou se houver qualquer sintoma adicional, contactem o vosso médico. Em crianças com menos de 6 meses as temperaturas acima dos 38 °C devem ser levadas muito a sério.

Corpo estranho no nariz

É bem possível que só nos apercebamos dias depois. Um dos sintomas é a mucosidade com sangue. A presença de um corpo estranho no nariz não é grave, mas deve evitar-se que a criança inale o objeto, pelo que é necessário levá-la ao hospital. Sosseguem a criança e tentem que respire pela boca. No hospital, o médico irá remover o objeto em poucos minutos!

Convulsões febris

O aumento da temperatura que acompanha uma infeção viral é geralmente a causa de convulsões em crianças entre os 12 meses e os 4 anos. Para baixar a temperatura, recomendamos que dispam o vosso filho e arranjem espaço livre à volta dele para evitar que se magoe. Assim que as convulsões pararem, há que tratar a febre passando-lhe um pano embebido em água morna. Não deixe a criança sozinha nem lhe coloque nada na boca. Uma vez recuperada, o melhor é telefonar ao seu pediatra. Se a convulsão regressar e se prolongar mais de 15 minutos, chame uma ambulância. O médico saberá decerto o que fazer.

Quedas

Fechar as janelas e varandas, o acesso às escadas, colocar proteções nas esquinas dos móveis, fixar tapetes ao chão com fita adesiva ou anti-derrapante… são pequenas coisas que podem ajudar-vos a tornar mais suportáveis as primeiras quedas do vosso filho, muitas vezes inevitáveis quando começam a andar. As quedas dos bebés mais crescidos, que decorrem da sua própria fase de correr ou gatinhar, são ligeiras e são os acidentes mais comuns. No entanto, se tropeçarem com ele ao colo, será uma queda de uma altura significativa e poderá provocar golpes muito graves. Quando se trata de um bebé, mesmo quando pensam que vai estar quieto, é aconselhável nunca o perder de vista quando o deixam em sítios altos, por exemplo o mudador de fralda. A prevenção é o melhor aliado para as quedas.

Viagens e Saídas

Se até agora era essencial planear as suas saídas, viagens e “escapadinhas”, agora, com mais um membro na família, a importância é vital. Quanto mais pequeno for o seu bebé, melhor planeado deverá estar tudo antes da partida. De seguida deixamos-lhe algumas dicas que ajudarão na organização:

Sabia que…?

O seu filho nunca é pequeno demais para viajar.
As compras no supermercado podem ser muito produtivas: a criança pode aprender cores, estimular a leitura e recordar produtos do seu quotidiano.
Circular pelo centro dos corredores do supermercado evitará que o pequeno tenha a tentação de deitar a mão a todos os objectos.
Aprender o seu nome, direcção e número de telefone, o mais cedo possível, será uma grande ajuda se se perder.
O porta bebés poderá ser a forma mais prática de levar o seu bebé, que agradecerá o contacto íntimo.
Se existir na família um histórico de enxaquecas, eczemas ou alergias, é muito provável que a criança sofra de tonturas causadas pelo movimento.
Durante uma viagem de carro, é uma boa ideia levar bocados de pão, pois podem comê-los sem se sujar.

Bibliografia
“Os meus primeiros 100 dias” Guia médico para o recém-nascido de José Luis Romero
“Guia completo para cuidar de bebés e crianças” da Dra. Miriam Stoppard

Viagens de avião

Quando fizerem viagens de avião, devem assegurar-se com antecedência que a companhia dispõe de instalações especiais para crianças. Se não for esse o caso, peça um lugar que permita mais espaço para a pernas. Alguns voos dispõem de refeições para crianças, mas se não for assim, terá que as levar consigo, cumprindo no entanto as normas em vigor.
Procure chegar ao aeroporto a tempo, ter todos os documentos para viajar e assegure-se de que todos sobem a bordo… Alguns brinquedos para a viagem vão ajudá-lo a manter-se entretido. Mudar a fralda mesmo antes do embarque e levar uma cadeirinha de rodas portátil, ajudará muito.

Viagens de carro

As crianças podem ser muito ativas nas viagens de carro. Estão a aprender e ficam muito orgulhosas das habilidades físicas recém adquiridas, como saltar, brincar, correr ou trepar. Dentro das estreitas circunstâncias de uma viagem grande, será difícil esperar que a criança seja um anjinho. Aqui, a sua tarefa consiste em garantir que não tenha nem demasiado calor, nem demasiado frio, que se alimente, beba líquidos suficientes, disponha de coisas para se ocupar e distrair, vá à casa de banho sem causar problemas e que os acidentes sejam aceites com bom espírito.
De qualquer forma, o bebé tem de ser transportado com segurança, no seu lugar ou numa cadeira adequada. Se é uma viagem longa, a agitação alivia-se com paragens a cada hora, permitindo que a criança corra ou se possa mexer um pouco. Um recém-nascido deverá viajar sempre acomodado com um cinto de segurança de 5 pontos, cintas acolchoadas nos ombros, cintura e entre as pernas. Deve ter em mente que um bebé nunca é pequeno demais para viajar, pode ir a qualquer lado com ele sempre que ele tenha a oportunidade de observar o que o rodeia.

Transporte público

Se viajam de transporte público, sabem que nem os autocarros, nem as carruagens de metro estão bem equipadas. Naturalmente, facilitaria as coisas não viajar em horas de ponta, mas em muitas ocasiões só nos resta adaptarmo-nos da melhor maneira possível. Alguns conselhos: para levar um bebé mais crescido o melhor será uma suspensão tipo mochila e um brinquedo ou um livro para que se possa distrair.

Como escolher o meio de transporte para o nosso filho?

Os porta-bebés são a forma mais popular de transportar um recém-nascido por serem leves e cómodos, além disso, permitem levar o bebé bem perto do corpo. Aconselhamos que, antes de comprar, experimentem alguns com o bebé e garanta que a cabeça fique bem apoiada. Existem várias opções, entre elas, os porta-bebés onde a criança terá um contacto íntimo com o seu corpo ou a mochila para o levarem com cintas quando for pesado.
O carrinho ou cadeirinha de passeio serão provavelmente as compras mais caras que farão, pelo que deverão decidir bem. Tenham em conta onde a vão usar, se precisam que seja fácil de colocar no carro ou mais adequada para o transporte público. Certifiquem-se que é fácil de manobrar e que dispõe de garantia antes de o comprar.
O vosso bebé passará a maior parte do tempo a ser transportado de um lado para o outro, quer seja ao colo ou no carrinho. Os principais critérios que deverão ter em conta são a segurança, a comodidade e a facilidade de transporte.

Para começar, o que devemos ter em conta?

Duas coisas importantes a ter em conta são a alimentação e a muda da fralda do bebé. Assim sendo, quando planearem o percurso da vossa viagem deverão considerar pontos de paragem para estes dois propósitos. Se o bebé for muito pequeno, as viagens longas são de evitar, pois terá de levar muita bagagem e fazer muitas paragens.
Se tiver que dar de mamar no carro, a tarefa não será difícil já que não necessita de preparativos. Se o estiver a alimentar através de biberão, leve tudo o que for necessário para o poder preparar sem problemas. Para mudar o seu bebé, aconselhamos a compra de fraldas descartáveis. Não se esqueça de levar lenços de papel e um recipiente hermético para as fraldas sujas.
Quando planificarem uma saída com uma criança mais crescida, será positivo ter em conta a sua personalidade, dependendo se é tranquilo ou mais ativo, poderá gostar mais de exposições de flores ou de espaços abertos para se mexer. Levem sempre bebida e comida suficientes para que a criança desfrute de toda a viagem. Também necessitarão de brinquedos para se distrair ou CD’s com as suas músicas favoritas para que fique entretido e tranquilo.
Se aquilo que estão a programar é uma viagem de longa duração ou ao estrangeiro, assegurem-se antes de partir que o hotel dispõe de instalações para crianças como um infantário e menus infantis. Procurem também informar-se sobre a vacinação necessária e façam-no com bastante antecedência já que as normas estão em constante mudança em todo o mundo.
O bebé pode acompanhar-vos para todo o lado desde que estejam devidamente preparados e disponham de equipamento necessário para o transportar.




Mais Perguntas

Loading...