24-36 Meses

Vou apanhar-te…

Costuma dizer-se que as crianças pequenas são irrequietas pois é nesta fase que o seu corpo precisa de muita atividade para se desenvolver. O vosso filho precisa de correr, explorar, aprender e divertir-se…
O vosso filho, com dois anos e meio já deverá ser capaz de andar na ponta dos pés e saltar. Se lhe oferecerem um brinquedo móvel com rodas para que possa sentar-se e impulsionar-se com os pés, irá divertir-se a valer. Certamente, em espaços abertos quererá correr à vontade, mas tenham especial atenção pois não distinguirá os perigos.
Aos três anos já subirá a escada com confiança e, provavelmente, adora as brincadeiras que impliquem saltar. Incentivem o vosso filho a usufruir de brincadeiras ativas pois ajudam a desenvolver o seu potencial.
Nessa idade, o vosso filho, que já não é tão bebé, aumentará rapidamente o seu vocabulário de nomes e objetos. Pouco depois saberá quem é e dirá o seu nome, começará a opor a sua vontade contra a vossa e é possível que diga que não muitas vezes. Há que ter paciência! Cerca dos três anos a sua curiosidade expande-se e irá incitar-vos a responder constantemente às suas perguntas.
É o momento de ir para a creche ou jardim de infância – como irá ele superar a separação? É muito provável que a primeira manhã seja difícil e inclusivamente devem estar sempre com ele durante este tempo, mas tal não deve acontecer mais do que uma vez. Assim que a criança estiver entretida com alguma atividade dificilmente se aperceberá que se vão embora.

SABIA QUE…?
Os rapazes têm mais tendência do que as raparigas a crescer por “pulos”. São mais vulneráveis ao stress e mais propensos a problemas de comportamento.
Entre os dois e os três anos têm birras com frequência como meio de libertar a sua frustração quando não conseguem aquilo que desejam.

Bibliografia
“Guia completo para cuidar de bebés e crianças” da Dra. Miriam Stoppard
“Meu filho, meu tesouro” do Dr. Benjamin Spock
“Os meus primeiros 100 dias” de José Luis Romero

Loading...