24-36 Meses

Queres ser meu amigo?

Aos 12 meses de idade, o seu pequeno explorador prefere brincar sozinho – parece ignorar completamente os seus companheiros de brincadeiras. É importante consciencializar-se de que antes da idade dos 2 anos, o bebé é realmente um tanto egocêntrico! Não importa se fica em casa ou se vai para o infantário, as únicas coisas que o fazem feliz é ele próprio, e os papás! Se ao princípio existir puro antagonismo, as coisas serão diferentes assim que consiga falar, pois acelerará consideravelmente a sua socialização. É um período decisivo para iniciar a partilha e o respeito pelos outros, quando os pais têm um papel considerável como “integradores sociais”.

Disse anti-social?
Pelo contrário, o bebé é um imitador nato. Apenas com 1 mês, pode sorrir e tentará deitar a língua de fora. Mais tarde, por volta dos 4 meses, os seus palrares, risos e manifestações de grande alegria para consigo confirmarão a sua natureza naturalmente sociável. Especialmente com a mamã e papá!
Mais inclinado a brincar sozinho do que com as outras crianças, os vossos pequeninos estão focados nas suas próprias atividades – aos estranhos que o perturbem, cuidado! Lágrimas garantidas! Tendo superado a ansiedade da separação na idade de 10 a 18 meses, onde apenas a sua presença o reconfortaria, começa agora a interessar-se pelo mundo ao seu redor. Tanto mais que fez uma descoberta considerável: sabe como andar e falar! Está agora a ganhar independência. Ele diz que não, foge no supermercado e recusa-se a partilhar, nada disto o impede de fazer amigos. E mais, ele adora a imitá-los!

Conselhos para combater a timidez
­- Convide a família ou os amigos para a sua casa. Na maioria das vezes, gostam de brincar ao jogo “vamos ver o teu quarto” e não economizam nos mimos, nas gargalhadas e nos presentes…
­- Se chora quando um amigo que não conhece bem lhe pega ao colo, pegue a mamã ou o papá nele. Uma vez tranquilizado, gentilmente devolva-o ao seu amigo, enquanto conversa com ele, em seguida, tente deixar a sua visita brincar com ele durante uns minutos.
­- Inscreva-o num grupo da primeira infância para que ele possa construir relacionamentos com crianças que ele não conhece. Naturalmente, explique-lhe primeiro.
­- Amplie o seu ambiente social. Quer seja no parque, no infantário, com uma ama ou quando partilhar o automóvel, há sempre uma oportunidade para lhe mostrar que existe mais, que o possa divertir, para além da família. A mamã poderia até levar alguns amigos para fazerem um piquenique!
­- E por que não convidar as crianças suas vizinhas para a sua casa? Ou talvez os primos dele… Não hesite em ajudá-lo a aproximar-se deles, dando os primeiros passos.

Grandes notícias, um maninho!
Ou talvez não tão grandes… Sabendo que o seu filho tem dificuldade em partilhar, a chegada de um irmão ou irmã pode não ser totalmente despreocupada. De repente retirado do seu pedestal, o bebé sente como já não é o único objeto da sua afeição. Amuos, raiva, agressão, desatino, ciúme… Ele expressará a sua frustração. Tranquilize-o e encoraje-o a relacionar-se com o recém-nascido: “Olha como ele sorri para ti, ele reconhece-te”, “Dá-lhe um abraço, ele é muito frágil, precisa do mano mais velho para o proteger”, “Talvez lhe possas ensinar a fazer a careta de que mais gostas?”… Dê-lhe alguma responsabilidade para que se sinta valorizado e assuma o seu papel de irmão mais velho muito a sério: “A mamã está muito cansada hoje, por isso está a contar contigo para dar o biberão ao bebé”. Sentado ao seu lado, com o bebé em seus braços, ele vai orgulhosamente cumprir sua tarefa. Não se esqueça de lhe dizer bem alto o quão orgulhosa está do facto de ele ser um ajudante especial, diga-lho na sua presença e na presença dos outros.
A socialização também inclui a aceitação de um novo rosto em casa. Priorize a conversa para que ele possa expressar livremente os seus sentimentos acerca do nascimento. Ao dedicar tempo para brincar com ele, fará com que o tempo partilhado entre irmãos seja especial. Por exemplo, lendo histórias com as quais se pode identificar como fazendo parte integrante de uma família. Quem falou em rivalidade entre irmãos!
Desde o seu nascimento que o bebé começa a socializar através da imitação. É assim que ele progredirá. Em primeiro lugar, pela observação quando é educada e partilha as suas coisas no seu círculo familiar, depois nos círculos de amigos observando os seus amigos. Estar em contacto com eles ajuda a construir a sua personalidade. Com o tempo, ele refinará a sua experiência social através de altercações, gargalhadas loucas, reconciliação e união, mas é assim que as suas primeiras amizades se formarão. Ele escolherá fazer as próprias amizades e aprenderá a comportar-se melhor, esperar pela sua vez ou partilhar com elas. A simpatia ensiná-lo-á a gostar de brincar com elas cada vez mais.

Loading...